Sempre tento mapear os meus sentimentos. Raríssimas vezes não soube como traduzi-los, ainda que através de olhos, de lábios, silêncio, águas...

24
Jun 09

Dora não contava histórias, entrava dentro delas e consigo, levava a todos que a ouvíamos. Juntas, adentrávamos castelos, sofríamos a sorte das princesas, deixávamos crescer nossas tranças imaginárias, enfrentávamos peles vermelhas, cavalgávamos na garupa do mocinho,saíamos aflitas ao socorro de Joca, o coelho fujão. Dependendo do seu estado de espírito era a leveza da narrativa ou a gravidade de um final não tão feliz; o resultado disso eram olhos vermelhos de choro ou a barriga doendo de tanto rir. Ainda hoje, sinto falta de suas histórias, descobri que só ela sabe sorrir com os olhos e só ela tem a chave do mundo da lua.

 

(Extraída do livro “O Adestrador de Sentimentos” de Stella Tavares Publicado em 2007)

 

PS: Hoje, minha irmã Dora é uma grande escritora e tem os seus textos publicados no Site do escritor: http://www.doratavares.prosaeverso.net/ Conheçam os seus textos.

publicado por STELLA TAVARES às 00:17

04
Jun 09
Depois de escrever a última história de uma série de histórias infantis, deixei-as empilhadas para uma futura revisão. Deitei-me na rede, como se fosse o sétimo dia. O tempo estava nublado e um ventinho rodeava a casa, circundando ao meu redor. O balanço da rede e aquele abraço do vento que circunda-mundo fizeram-me adormecer. Acordei-me um pouco mais tarde com a chuva respingando-me os olhos. Juntei todas as histórias, fechei a janela e comecei a secá-las, como mãe que enxuga a cabeça de um filho. O sol logo começou a brilhar. Peguei folha por folha e as fui prendendo no varal, usando prendedores de roupas. Qual não foi a minha surpresa, ao ver que, debaixo de cada linha, havia se formado um novo parágrafo. Quando reli cada história, tinham-se criado novas aventuras dentro das primeiras. Gabriel se encontrou com Senabim e, juntos, foram visitar Lucas que brincava na rua, livre como um passarinho. Quem duvidou de minhas palavras basta dar um pulinho na Rua das Acácias, número 32 e irá vê-los brincar, no fundo do quintal da casa de dona Adelina. É bom que não se apressem, porque, felizes como estão, a brincadeira não terminará tão cedo! Tudo isso aconteceu enquanto as histórias secavam no varal, depois de uma simples chuva de verão. (Extraído do livro "O Adestrador de Sentimentos" de Stella Tavares publicado em 2007)
publicado por STELLA TAVARES às 13:54

Junho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
25
26
27

28
29
30


RSS
arquivos
Contador de Visitas
Temporada
Contador de acesso grátis
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO