Sempre tento mapear os meus sentimentos. Raríssimas vezes não soube como traduzi-los, ainda que através de olhos, de lábios, silêncio, águas...

02
Abr 09

                               Do outro lado da cidade, vivia Jandira, uma mulher que sorvia a vida em largos goles.
        Recato não havia e o seu quarto de moça, se é que foi um dia, não deixou vestígios, pois parecia já ter nascido mulher feita.
        Solidária sempre foi, já que atravessava a cidade, equilibrando um colchão na cabeça para doá-lo a desabrigados da sorte.
        Os homens por ela suspiravam. Seu corpo ardente exalava exóticos odores.
        Viúvos, solteiros, separados sentiam-se à vontade e seus corpos jamais reclamaram por lençóis bordados e ricas cambraias de linho.

publicado por STELLA TAVARES às 00:41

Abril 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

RSS
arquivos
Contador de Visitas
Temporada
Contador de acesso grátis
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO